sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

[RESENHA] LOLITA - Vladimir Nabokov




Titulo: Lolita
Título Original: Lolita
Autor: Vladimir Nabokov
Editora: Companhia Das Letras 
Páginas: 319
Ano: 2003
Nota: 5/5


          Desde que me entendo por gente (leitora) eu almeja obter esse livro, porém sempre o encontrava super caro e não tinha coragem de comprar, também só achava uma edição então deixava para mais tarde e torcia para ficar baratinho. Nem lembro como fiquei conhecendo a história mas foi algo que me prendeu e não esquecia nunca dessa aquisição que precisava fazer. Não tenho restrições em ler pdf, mas esse eu queria o físico para poder aproveitar mais.
           Depois de tanto tempo respondi uma TAG no instagram citando os livros que eu mais desejada e Lolita estava nessa lista, assim um amigo viu e falou que ia me dar. Fiquei super feliz com esse maravilhoso presente.






          Narrada em primeira pessoa a história começa com Humbert Humbert tentando explicar a estranha e desconhecida razão que o levou a ser preso. 
          Ele começa do início, da infância normal onde perdeu a mãe cedo e tinha um pai razoavelmente rico. Teve seu primeiro desejo sexual, algo estranho e estimulante com Annabel, na flor da juventude no período de férias. Foram avançando os sinais quando podiam e descobrindo juntos a agradável sensação de entrega. 
            Annabel tornou-se seu amor, porém depois que foi embora acabou morrendo, o que levou H.H. a sempre guardar consigo a memória dessa menina instigante e de sua adorável liberdade.




          Humbert cresceu reprimindo um desejo diferente, por se lembrar de Annabel sempre se sentiu atraído por meninas entre 10 a 13 anos. Mas ele sabia como esse ato era proibido e repudiado, por isso com sua inteligência e aprendizagem ele sabia disfarçar e se distanciar de qualquer coisa que o entregasse. 
          Entre meio a sua verdadeira vontade ele manteve relações com outras mulheres, porém buscava nelas traços infantis, e mesmo assim as odiava, mas precisava manter as aparências. 
          Para continuar com o teatro ele se casou com Valéria, filha de um conhecido. Por alguns anos conseguiu manter a compostura e se manter afastado de seu gosto peculiar.




          Depois de terminar seu fracassado casamento Humbert é convidado a lecionar seu edioma nativo na América, porém ainda averso a essa idéia é onde ele conhece a jovem viúva Charlotte Haze que se dispõe a hospeda-lo. Como todas as outras mulheres Charlotte também não o encantou. Decidido a ir embora é quando no jardim da casa ele conhece Dolores Haze, de espírito livre com seus pequeninos 12 anos. O desejo a atração e o amor que Humberto sente por essa ninfeta, sua Lolita, é enorme e avassalador o que o faz se instalar na casa.
          Depois de dias Humberto já conhece as façanhas e jogos da pequena Lolita. Charlotte decide mandar sua filha para um acampamento e revela seu amor por Humberto, e faz o terrível ultimato: se ele não sente o mesmo por ela que vá embora no mesmo dia, mas se sente algo que se casem logo. Humberto temendo ter que ficar longe de seu amor aceita a proposta e se torna padrasto da fonte de seu desejo. 





          Ao passar por um acidente Humberto busca Lolita no acampamento e da início a uma longa e estranha viagem, tentando desde o início maquiar suas vontades e aproveita-las quando puder. De um jeito surpreendente e inesperado o que ele mais quer acontece e é assim que a viagem procedeu, entre carias, amor, brigas e joguinhos. 
            Humberto faz de tudo para manter sua pequena feliz, cobre de presentes, banha em cuidados, e a mantêm a salvo. Ficam meses viajando e se conhecendo, apesar de todo carinho Humberto passa por momentos de ciúme e se torna agressivo, seu amor doente o cega muitas vezes. Tentam, estabelecer regras e decisões, acabam mudando de planos e rotinas, mas essas nem sempre são cumpridas, Lolita é enérgica e independente, aceitar ordens não a deixa feliz.
         



          Eu esperava que a história fosse sobre o amor e envolvimento de uma menina com um homem mais velho, porém é o contrário, a história é toda de Humberto, claro que sabia e imaginava que nossa pequena Lolita é totalmente manipulações e dissimulada mas não esperava a totalidade de Humberto, esse homem que se acha super inteligente por conseguir esconder e manipular as pessoas ao seu redor. O modo que ele relata esse seu doente desejo, como ele acha certo o que sente sem machucar ou roubar a pureza de suas escolhidas. Não consigo imaginar como esses sádicos pensam, mas se for assim eles são completamente doentes. Ele nutre  tanto desprezo por mulheres, por seus corpos estranhos e desproporcionais, que ele cria a perfeição nos corpos esqueléticos e sem formação das meninas.
         O ponto alto do livro são todos os pensamentos de amor por Lolita, não há mulher e nem criança no mundo que o faça largar essa enorme paixão, as palavras e sentimentos que ele sente são tão profundas e enormes que se não fosse pelo fato de ela ser uma criança seria o mais belo e puro.
          Humberto nos leva a crer na dissimulação total de Lô, nas mentiras constantes e nos joguinhos de criança, porém como ele está tentando nos mostrar porque ele foi preso é algo duvudiso, são apenas os pensamentos e opiniões dele. 



Frase De Interpretação 
          "De um jeito estranho e proibido o desejo existia. De um modo peculiar a atração nasceu. De uma maneira doentia a relação foi mantida. De uma forma brutal, tudo terminou."

2 comentários:

  1. Ciiiin linda, amei sua resenha. Embora eu ainda não tenha tido a oportunidade de finalizar a obra, pelo pouco que li o Nabokov me deixou de boca aberta por sua escrita.
    Parabéns, adorei a sua resenha. Muito completa e nem explicativa. E essa edição é muito lindinha *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Annnnne Adri, muito obrigada! Estou no início ainda, então sempre faço uns ajustes. Essa edição é muito fofinha e ainda foi um presente. Leia quando ser e me conta o que achou do final.

      Beijinhos :***

      Excluir

Seja coerente