quarta-feira, 28 de outubro de 2015

[RESENHA] DE REPENTE, É ELE - Susan Fox




Título: De Repente, É Ele
Título Original: His, Unexpectedly
Série: De Repente - Livro 2
Autora: Susan Fox
Editora: Única
Páginas: 383
Ano: 2013
Nota: 4/5



     Antes de tudo, veja a resenha do livro um: De Repente, O Amor.
      Já ciente e introduzida no universo das irmãs Fallon, não fui jogada na história sem saber algo sobra a mesma, sabia que iria ser alguma das próximas irmãs, e esse livro vai falar da irmã mais nova da gangue das 3 Marias.
     Como no primeiro livro, a escrita é fluida e leve, intercalando os capítulos entre os personagens principais. Um detalhe que me irritou foi a repetição da expressão "Er" entre os personagens, porém nada de excessivo e que estragasse a história. 





      Jenna Fallon com seus quase trinta anos sempre foi a ovelha negra da família, amante da natureza e nada responsável, dispensava as regras, para ela a vida devia ser aproveitada sem muito pensar a respeito. Nunca acreditou em relacionamentos sérios, a regra era aproveitar o momento e ficar com muitos homens. Acreditava que deveria estar onde o vento a levasse, trabalhando com o que aparecesse. Sua casa era onde seu velho MGB chamada de Mellow Yellou a levava.
      Foi assim que acabou recebendo a notícia do casamento de sua irmã mais nova. Pronta para pegar a estrada, se recusando a viajar de outro modo, sem ser com sua copanheira. Seu amado carro acaba estragando em um posto.
     É nesse momento que a aventureira Jenna acaba conhecendo Mark Chambers, um deslumbrante desconhecido que tomava um café sem muito interesse ao seu redor.
     Jenna se interessa na hora, pelo corpo estrutural, bronzeados natural estilo surfista, dono de um trailer que viria a calhar. Conversam um pouco e Jenna decide pedir uma carona, afinal estão indo para a mesma cidade e se disponibiliza a dividir as despesas. Porém  Mark sempre todo centrado fica com receio pois nem a conhece direito, mas no fim acaba cedendo.
      




      É nesse momento em que tudo começa, Jenna está  feliz pois além de conseguir a carona de quebra pode ter mais uma de suas aventuras sexuais com esse gato que se mantêm meio distante.
      Porém Mark nunca se ligou para contatos pessoais, é claro que entendia de relações porém as que eles teve foram meramente passageiras e com calma. Sendo um biólogo marinho toda a sua atenção era para o oceano e seus problemas, preferia pensar antes nas coisas e deixar tudo programado, mas sobre paqueras, infelizmente, não entendia nada.
      Enquanto Jenna joga todo o seu charme durante o início da viagem, Mark a analisa, um pessoa sem estrutura, instável e alegre de mais, tudo o que ele teme. 
     As paisagens descritas são lindas, cheia de praia com encantamentos e acampamentos aconchegantes, e é nesse clima que a conversa vai surgindo e aumentando. 
     Jenna com toda sua liberdade consegue algumas informações sobre Mark, que ele viveu com sua mãe em uma Comuna chamada Vale Da Liberdade, uma comunidade sem regras, onde a paternidade não era importante e a liberdade deveria ser seguida, viveu nesse caos até a morte de sua mãe e assim foi morar com seus avós, onde a mudança foi drástica, aprendeu sobre ordem e responsabilidades, mas no fim ele viu que era isso que precisava.
      Era difícil para Mark não comparar essa linda e instável mulher com sua mãe, irresponsável e solta. Porém a atração ainda era enorme.
     Já Jenna depois de tanto lutar acaba contando o segredo para levar essa vida, a dura verdade que a transformou no que ela é, os estragos que um amor na adolescência pode causar.




      Ao decorrer da viagem a atração entre eles vai aumentando e é impossível não sucumbir a esse desejo. Mark nunca se viu preso a peculiaridades, seu amor sempre foi o oceano e a prioridade em sua vida, por outro lado Jenna não deseja o amor, a liberdade de escolha é o que ela precisa.
      Porém eles tem esse algo em comum que acaba os ligando de uma forte maneira, nenhum dos dois consegue resistir, é maior que os dois.
     Jenna se entrega e conta mais sobre ela, sobre todos os trabalhos voluntários que já fez, cuidar de idosos, doentes, machucados... Ajudar a deixava feliz, e Mark via nisso a beleza que ela escondia.




     Esse livro foca mais no relacionamento conturbado das irmãs com seus pais. Como todos os pais desejam proteger seus filhos, porém muitas vezes eles demonstram e fazem isso de maneira errada, causando nos filhos sérios danos. Jenna sempre foi julgada por suas escolhas, chega o momento em que ela cansa de buscar aprovação e apenas desafia seus pais,
      Porém dar atenção e carinho é preciso, vemos os danos de não os receber em Mark que sentia falta disso com sua mãe e depois com seus avós que sempre foram muito centrados.
     É fácil perceber que temos que mudar, mesmo sofrendo com o amor muito jovem a mudança foi necessária por um tempo, Jenna se fechou para esse sentimento e desacreditou em seus velhos sonhos, porém sempre vai haver alguém em algum canto por quem vale a pena lutar e acreditar.
   




Frase de interpretação
     "Eu amava a liberdade e pertencia ao acaso, porém bastou aquele ser estruturado e centrado aparecer para me abalar. Descobri no final que misturar os dois da um bom resultado"

2 comentários:

Seja coerente